E no dia 18 de outubro, Dia do Médico.....

35ª EXPEDIÇÃO - Um pequeno relato....

No dia 02/07/16 dei início àquela que talvez fosse uma das experiências mais emocionante e prazerosa que vivi. Obviamente não fui em busca do El Dorado, nem tinha qualquer interesse pessoal e em proporções bem menores, percorri um pequeno trecho do maior rio do mundo. Onde tive o prazer de poder participar de uma organização nobre e grandiosa e de infinito significado . Desbravando os rios e seus afluentes em busca de aldeias, triando pacientes indígenas, seja para cirurgias e/ou atendimentos. Navegando por águas escuras,serenas, onde por vezes a imagem invertida da floresta q refletia como se fosse um espelho, dava a sensação de que flutuavamos às avessas, vendo o céu aos pés.

Relatos de frei Gaspar Carvajal sobre as “Amazonas” vão de encontro ao que víamos nas aldeias que chegávamos para visitação.

Após alguns dias entre idas e vindas, chegamos no pólo base de São Pedro onde me deparo com uma estrutura inimaginável dentro da maior floresta tropical do mundo.
Sem conforto, abrindo mão de nosso trabalho e projetos pontuais e tudo voluntário. Vivendo ali momentos marcantes, onde desconhecidos tornaram se conhecidos, cirurgias e muitos atendimentos eram realizados , profissionais de todo brasil, inclusive do exterior viviam em comunhão em prol de se doar a tratar e cuidar dos pacientes.

Parebenizo aos idealizadores do projeto, que no início eram poucas pessoas e tdo se resumia às suas mochilas e hoje tornou se essa grandiosidade.

Agradeço a oportunidade por ter participado e fazer parte desta experiência ímpar. E hoje fica difícil depois de todos esses dias nesta missão não ser uma pessoa diferente de quando eu fui.

Parabéns aos Expedicionários da Saúde

Rodrigo Fonseca ” 35° expedição Satere – Mawe “”.
17 de julho às 23:40 · Manaus, Amazonas

34ª EXPEDIÇÃO

A terra yanomami foi avistada do alto, nem de longe dava pra imaginar as emoções que estavam por vir. Dias longos de trabalho, caminhadas, sorrisos de agradecimento às vezes, lágrimas da professora que atuou como nossa tradutora. Depois amigos, cozinha, aranhas, lua cheia, rio que se chama negro mas na verdade é bronze, depois mais trabalho. Ver a vida desse pequeno ponto no meio do coração da amazonia se transformando foi emocionante. Entrega-los de volta a suas famílias depois de um voo de 1 hora no Black Hawk também. Aí fez todo sentido ser expedicionária, devolve-los em melhor saúde do que buscamos, e em pouco tempo. Esse é o sentido de tudo. E no último dia lágrimas, agora de tantos expedicionários, depois de um agradecimento tão lindo e verdadeiro.

Obrigada família EDS Expedicionários da Saúde, mais uma vez!

Nikolle Sommer.
11 de agosto de 2015

33ª EXPEDIÇÃO

A gente “veste a camisa” quando acredita, quando faz bem pra gente mesmo, quando faz bem pro outro… a gente “veste a camisa” quando sabe que vai dar e receber, quando tá na mesma sintonia, na mesma “vibe” e alegra nosso coração…. a gente veste a camisa quando se sente em casa, se sente parte e sente que pode contribuir. Visto essa camisa com muito orgulho! Obrigada EDS pela grande oportunidade de aprendizado e crescimento!

Cristina Rigatto
5 de abril de 2015

30ª EXPEDIÇÃO

REFLEXÃO DE UMA EXPEDIÇÃO!!

É a primeira vez que não acompanho uma Expedição- EDS, desde que entrei para grupo como voluntária na logística em 2006. Faz bastante tempo!!

Conheci muitos lugares, culturas, etnias diferentes e fiz muitos amigos queridos, índios e brancos, tantos e com tanta intensidade que até viraram uma grande família. Mas com as idas e vindas dos voluntários também perdemos pessoas que pensávamos que jamais os perderíamos, que pena, mas faz parte, é assim a vida.

Olhar uma Expedição a distância nos faz enxergar ainda mais a força e dedicação de nossos Expedicionários, fico feliz e orgulhosa, criamos filhinhos. A semente foi plantada!! A lição foi aprendida e acredito que passada, basta seguir o caminho da solidariedade, gentileza, companheirismo, coragem, muita coragem para enfrentar os desafios que encontramos pelos caminhos de nossas expedições.

Somos todos guerreiros Kayapos, Yanomamis, kamayuras , Yawalapitis, Xavantes, Tukanos , Tuyukas , Baniwas, Ticunas , Satere Mawe , Macuxi e muitos outros. Somos todos brasileiros!!
Assistir de longe com a certeza que tudo esta sob controle da competência de nossos voluntários, ver as fotos com o sorriso no rosto do corpo cansado, suado, mas realizado.

Isso não tem preço. Adorei!!

Marcia Abdala
21 de novembro de 2014 – 30 Expedição EDS