dezembro 2010

Haiti pode enfrentar surto de mais doenças

(João Ricardo Gonçalves – Jornal O Dia – Rio de Janeiro)

Ainda se recuperando de um terremoto que arrasou sua combalida infraestrutura, o Haiti passa por uma epidemia de cólera que já matou mamis de 300. Mas a situação pode ficar ainda pior: brasileiros que participam da reconstrução do país caribenho alertam para o fatto que, com as atuais condições de saneamento, podem surgir surtos de outras doenças graves, caso do tifo.

Entre as maiores preocupações está o fato de que, depois do terremoto que matou mamis de 250 mil pessoas em janeiro, cerca de um milhão de haitianos moram em cidades de tendas. -As condições nunca estiveram tão ruins. Com a sujeira, o lixo e o esgoto nas cidades feitas de tendas, não me surpreende esta epidemia. Daqui a pouco podem surgir outros surtos, como o tifo- diz o ortopedista Ricardo Affonso Ferreira, presidente da ONG Expedicionários da Saúde, que esteve no Haiti este mês.

A ONG de Affonso atua em Les Cayes, no sul do país, e atende muitas pessoas que deixaram a capital haitiana, Porto Príncipe, após o terremoto.

-Vários pacientes têm doenças relacionadas à falta de condições sanitárias, afirma.

A epidemia de cólera, que já contaminou mais de 4600 haitianos, teve início há cerca de duas semanas no norte do país, mas já começou a chegar à capital, onde está a grande maioria das cidades de tendas. Dois dos pacientes de nosso centro médico estão com suspeita de terem contraído cólera, conta o coordenador do Viva Rio, Rubem Fernandes, que esteve no Haiti esta semana. -A doença se espalha através da água e das fezes. Nas regiões que abrigan tendas, não há redes de esgoto e os dejetos são enterrados. A água potável também é muito escassa e os habitantes a bebem do jeito que dá, diz.

A décima edição do Prêmio Paes Leme, entregue pela Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC) foi realizada no dia 1º de dezembro, mesma data em que a entidade comemorou seus 85 anos de fundação. As instituições que receberam o prêmio foram a Adacamp, Expedicionários da Saúde, Revista Metrópole e Orcampi. Na ocasião também foram homenageados os seguintes médicos: o ortopedista Hélio Waldemar Hilkner, o pediatra Arthur José Canguçu de Almeida, o ginecologista e obstetra Antonio Acacio Talli, o urologista e vereador Dário Jorge Giolo Saadi, o anestesista Guilherme Frederico Ferreira Reis, o cirurgião geral Nelson Ary Brandalise, o cirurgião geral Mario Costa Couto e a professora e clínica médica Maria Aparecida Baroni.

A cerimônia foi realizada às 19h da última quarta-feira (dia 1º), no auditório da SMCC, e foi seguida de um coquetel no Espaço Albert Zeitouni, terceiro piso da sede social, local que leva o nome do criador do Prêmio Paes Leme, o psiquiatra e presidente da SMCC (gestão 1999-2002), Albert Zeitouni (falecido em março/2005). 
A definição dos homenageados foi feita pela Diretoria da SMCC, com a escolha de médicos e instituições que sempre honraram a medicina, com um trabalho sério, trazendo orgulho não só a classe médica, mas a toda a população. 
O Prêmio Paes Leme foi criado com o objetivo de homenagear personalidades (médicas ou não) e instituições e/ou programas sociais, que tenham contribuído, direta ou indiretamente para o bem estar social ou para o exercício livre e ético da medicina em Campinas.

O nome Paes Leme foi uma homenagem ao primeiro presidente da SMCC, o médico Francisco Betim Paes Leme, que dirigiu a entidade entre 1925 e 1926. 
O diretor Paulo Borgonovi foi o mestre de cerimônias do evento. “Parabenizamos toda a classe médica pela escolha desta importante missão, fortalecida pelo reconhecimento do trabalho médico, o qual é homenageado todos os anos através da entrega do Prêmio Paes Leme. E a SMCC sempre teve a felicidade, por sua História, por todos estes anos, de contar com a ação de médicos e personalidades, lutando pelos seus ideais. A eles e a tantos outros por extensão e simbolicamente, dirigimos a nossa gratidão e nosso reconhecimento”.

A entrega começou com a Dra. Fátima Bastos, diretora de Eventos, fazendo a homenagem ao pediatra Arthur José Canguçu de Almeida.
O dr. Arthur José Canguçu de Almeida é pediatra, médico da Maternidade de Campinas desde 1964, também médico da antiga clínica Santo Antonio e do hospital Mário Gatti por todos esses anos de dedicação a medicina e a tantas crianças de nossa cidade. Além de sua atuação como pediatra, foi diretor clínico, coordenador do departamento de pediatria e membro da diretoria administrativa da maternidade de campinas, foi ainda presidente da Unimed Campinas por duas gestões e atualmente é membro do Conselho Consultivo do departamento de pediatria da maternidade de campinas e coordenador do comitê de Aleitamento Materno do hospital. É bisneto do médico Francisco Betim Paes Leme, que deu o nome a este prêmio por ter sido o primeiro presidente da SMCC.
A segunda homenagem foi entregue pelo Diretor de Comunicação e Marketing, Dr. Wilson Pires de Camargo Jr. ao ginecologista e obstetra Antonio Accacio Talli. 
O ginecologista e obstetra Antonio Acacio Talli começou sua atuação no Rio de Janeiro, vindo a Campinas na década de 60, onde foi médico do antigo INPS, além de médico da Casa de Saúde de Campinas desde 1960 e ainda tendo sido um dos fundadores da Unimed Campinas. O Paes Leme é apenas mais uma das homenagens que este médico recebeu por sua atuação na medicina. Ganhou o troféu imprensa na comemoração dos 50 anos da Associação campineira de imprensa, o prêmio andorinha em 1978 e ainda foi homenageado este ano pelo CRM e pela Associação Paulista de Medicina.

Paulo Borgonovi entregou a homenagem ao médico Dário Jorge Giolo Saadi. Vereador campineiro, o dr. Dário é urologista formado pela PUC, trabalhando na Casa de Saúde de Campinas e no Mário Gatti, onde foi presidente em 93/94, quando implantou a UTI Pediátrica, a enfermaria de Aids e deu início ao credenciamento da residência médica no MEC. Está no quinto mandato como vereador e foi presidente da câmara municipal de Campinas, sendo autor de importantes leis, como a que permite a doação de alimentos a entidades, isenta do ISS as construções em mutirão e as leis que criaram em campinas os programas de fitoterapia, saúde do homem e de assistência gratuita para a construção de moradia popular.

O Diretor de Finanças e Patrimônio, Dr. Clóvis Acúrcio Machado, entregou a homenagem ao Dr. Guilherme Frederico Ferreira Reis, anestesista responsável pelo centro de ensino e treinamento em anestesiologia da Casa de Saúde de Campinas, pela sua importante atuação na medicina. Um profissional gabaritado, que chegou a ser presidente da Sociedade Brasileira de Anestesiologia e da Sociedade de Anestesiologia do Estado de São Paulo, representando seus colegas de especialidade em inúmeras ocasiões. Um profissional sério e respeitado por toda a classe médica.
O Dr. Wilson Pires de Camargo Jr. Entregou a 5 ª homenagem da noite, ao Dr. Hélio Waldemar Hilkner. Médico ortopedista da Beneficência Portuguesa desde 1972 até hoje, onde ocupou funções na Diretoria cirúrgica, diretoria clínica e comissão de ética, estando atualmente na coordenação do departamento de trauma ortopedia do hospital. É titular da sociedade brasileira de ortopedia e traumatologia, com título de especialista pela AMB desde 69. Ingressou na Unimed como cooperado em 1972, onde exerceu cargos eletivos no conselho de administração, conselho fiscal, comitê de ética médica e comitê da especialidade.

A Dra. Denise entregou a homenagem a Dra. Maria Aparecida Baroni Teixeira, de quem foi aluna, por sua importante atuação na educação dos acadêmicos de medicina, sendo professora em Semiologia e Medicina Interna na Faculdade de Medicina da PUC Campinas desde 1983. “Agradeço a Deus por termos a Dra. Cidinha na Faculdade de Medicina da PUC, porque graças a ela a faculdade continua formando bons médicos”, disse. Médica com especialização em clínica médica, doutora em clínica médica pela UNICAMP; ministra aulas práticas para alunos de segunda, terceira, quarta e sexta séries do curso de medicina, além de atuar em pesquisa, como coordenadora do Grupo de Estudo em Correlação Anátomo-Clínica desde 1996, onde exerce suas atividades de pesquisa clínica.

A diretora de Eventos fez a entrega da homenagem ao Dr. Nelson Ary Brandalise, por sua atuação na Medicina, como cirurgião geral e também como professor do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp. O dr é membro emérito do colégio brasileiro de cirurgiões, com título de especialista em endoscopia digestiva alta pela SOBED, título de especialista em cirurgia por videolaparoscopia pela SOBRACIL. É ainda chefe do Departamento de Cirurgia do Hospital Centro Médico de Campinas, sendo fundador e chefe do serviço de endoscopia deste hospital. Foi escolhido para ser homenageado por sua dedicação a medicina e pelo tratamento amigo dispensado aos pacientes.

Por último a Dra. Denise entregou a homenagem ao Dr. Mario Costa Couto. Cirurgião geral formado pela universidade federal do Paraná – na turma de 1959, foi médico do instituto biológico Fazenda Mato Dentro entre 1962 a 1977, coordenador do serviço de emergências do hospital Irmãos Penteado e Santa Casa de Campinas, diretor clínico dos hospitais da Irmandade de Misericórdia de Campinas e fundador da comissão de infecção hospitalar dos hospitais da irmandade de misericórdia de campinas, de onde também foi presidente por 8 anos. É membro do Comitê de Cirurgia Geral da Unimed Campinas e preceptor de residência médica da Irmandade de Misericórdia de Campinas há dez anos. Por todos estes anos de dedicação a medicina, a homenagem da SMCC ao médico.

A segunda etapa da cerimônia foi a premiação das entidades que se destacaram no ano de 2010:

A 1ª premiada na noite foi a ADACAMP – Associação para o desenvolvimento de Autistas de Campinas Representada pelo seu presidente Sr. Ricardo Jordão Rocha. Entidade fundada em 1989, por oferecer tratamento terapêutico para autistas e apoio psicológico aos familiares. Instituição filantrópica que dispõe aos seus usuários, de diversas faixas etárias, tratamentos terapêuticos baseados em conhecimentos científicos atualizados, e que busca auxiliar na integração social dos portadores e, consequentemente, na redução dos preconceitos.

A segunda entidade premiada foi a Ong Expedicionários da Saúde, representada pelo seu presidente Dr. Ricardo Affonso Ferreira, junto com o Dr. Martim Affonso Ferreira, um de seus fundadores.

A ONG Expedicionários da Saúde foi criada em 2003 por um grupo de médicos voluntários para levar a medicina aos índios que vivem longe dos grandes centros. A entidade implantou em 2004 o programa Operando na Amazônia, na região do Alto Rio Negro. Em 2007 o programa chegou à região do Rio Tapajós – Pará e em 2008, na região do Alto Solimões- Amazonas. Para atender a populações que vivem distantes de centros cirúrgicos, o programa desenvolveu um Centro Cirúrgico Móvel, transportado e montado especialmente para este trabalho. O maior número de cirurgias ocorre entre as especialidades de oftalmologia e cirurgia geral. Também são realizadas cirurgias pediátricas, ortopédicas e ginecológicas. Além dos médicos voluntários, o programa conta com o apoio de outros profissionais e instituições que ajudam a viabilizar o projeto, assim como o Ministério da Defesa, o Comando Militar da Amazônia e a Força Aérea Brasileira, além do patrocínio de empresas socialmente responsáveis.

A terceira premiada da noite foi a Orcampi, representada pelo seu presidente, Evandro Lazari. Fundada em 1997, a Organização Funilense de Atletismo – ORCAMPI é uma entidade sem fins lucrativos destinada a jovens carentes, com idade entre 11 e 18 anos, da Região Metropolitana de Campinas. Ao longo dos 13 anos de funcionamento, já atendeu mais de 1800 crianças e tem como padrinho o ex-maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima. Desde 2005 firmou parceria com a UNICAMP e utiliza toda a infraestrutura da Faculdade de Educação Física da universidade. Sete atletas revelados pela equipe participaram no Pan 2007 e quatro foram para Pequim, comprovando assim o sucesso do projeto. Parabéns por este bonito projeto social!

A última premiada da noite foi a Revista Metrópole do Correio Popular, representada pela sua editora Suzamara Santos. A Revista semanal do Jornal Correio Popular de Campinas traz importantes reportagens de comportamento e prevenção de doenças, que auxiliam na melhoria da qualidade de vida da população, contribuindo muito com a missão do médico. Desde sua criação em 1997, quando ainda se chamava Revista do Correio Popular, a publicação tem como principal compromisso mostrar algumas características que dão identidade à cidade. Temas como pais e filhos, comportamento, moda, gastronomia, educação, lazer, cultura e saúde estão presentes nas edições como reflexo natural do que Campinas tem a oferecer e do que o leitor espera encontrar numa leitura domingueira. Em 2001, quando passou a se chamar Metrópole, em meio a tantas alterações urbanas, a revista enfatizou em sua linha editorial o conceito de “bem-estar”, o que automaticamente colocou o tema “saúde” em destaque. E saúde e bem-estar significam também busca por entretenimento, alimentação saudável, conforto familiar, entendimento social. Parabéns pelo seu ótimo trabalho!

Ao final das homenagens, todos foram convidados a participar de coquetel no terceiro piso da entidade.